domingo, 23 de junho de 2019

EDITORIAL - Os mistérios que envolvem o facínora Zé do Valério

Especial - 58 dias de caçada ao facínora mais procurado do Sertão Central Cearense, agora a missão passou a ser em dois estados, centenas ou milhares de pessoas com um único objetivo, JUSTIÇA.

José Pereira da Costa, esse nome pode não ser muito bem recebido por quem ler, mas com certeza você já deve ter ouvido falar em Zé do Valério, sim, o famoso assassino que de fama só tem a de ''fujão'' vem desafiando as autoridades por sua destreza e habilidade em se manter distante das autoridades em meio ao sertão escaldante do semiárido Cearense e agora também no estado do Piauí.
Manco de uma das pernas, deficiente de um dos braços, com 68 anos o idoso da uma aula de sobrevivência na caatinga, relembrando os tempos de cangaço onde o banditismo também usava das mesmas táticas para fugir das volantes que perseguiam Lampião e turma.

O crime - Danielle foi morta no dia 24 de abril, a jovem cheia de vida foi assassinada brutalmente em um sítio da família na zona rural de Pedra Branca, o assassino, ex-caseiro da família, homem tido como de confiança pois desempenhava bem as suas funções juntos aos bichos que cuidava e não deixava sinais de que poderia ser um risco, mas que carregava consigo um passado cruel que poucos sabiam ou que ninguém sabia, Zé já havia matado uma mulher em 2013 a tiros e tentado matar o esposo, na época, o bandido também era caseiro.
No caso Danielle a jovem foi arrastada há uns 500 metros da residência no sítio enquanto preparava queijos para a venda, foi violentada sexualmente, recebeu pancadas na cabeça e foi deixada ali mesmo no local em meio a mata tendo sido encontrada pelo irmão mais velho horas depois do ocorrido.
De abril até junho, são longos meses de muita dor para família e o único sentimento em comum que a sociedade abraçou ao conhecer o caso, sem dúvidas é o de justiça, inciava-se após divulgação da Polícia Civil do acusado, a saga de Zé do Valério em meio ao sertão central, inhamuns e sertões de crateús.

O início da fuga - Zé saiu de Pedra Branca, seguiu em direção à zona rural de Senador Pompeu e por onde passava era avistado e reconhecido após familiares da jovem divulgarem suas características então desconhecidas, de Senador passou por comunidades de Quixeramobim até chegar em Boa Viagem onde seguiu novamente para os limites do município onde originou-se o assassinato, de Pedra Branca o facínora percorreu quilômetros até chegar em Independência, passando inclusive por Novo Oriente e por fim Crateús, ali terminava sua caminhada pelo Ceará, um total aproximado de 300 km, a maioria a pé.
No rastro de Zé do Valério, Policiais Militares e Civis de diversos municípios, equipados com o que há de mais moderno: helicópteros, cães farejadores e até drones diuturnamente se deslocam até onde o acusado é avistado, nada que tenha sido capaz de parar o bandido que carrega consigo não só a morte de duas mulheres mas também mistérios que o envolvem.

Misterioso - Zé do Valério rouba, atenta contra a vida de inocentes por onde passa, fingindo-se andarilho, rapidamente consegue alimento em residências onde não possuem acesso a informação, pessoas que nunca ouviram falar do caso e acabam doando alimentos, o homem também invade propriedades particulares e rouba plantações: milho, feijão, jerimum, melancia... alimentos provisórios que matam a fome por algumas horas, o homem tira mel de apiários sem proteção e fumaça para se alimentar, algo que deixa os proprietários de queixo caído.
Consigo, panelas, garradas, roupas femininas e masculinas fazem do homem um verdadeiro cangaceiro moderno, apenas com a diferença de que o homem pretende apenas se manter longe da Polícia.
Passado esse período, muitas são as dúvidas de quem acompanha o caso, autoridades se intrigam com a situação pois como um homem idoso, manco, cansado e debilitado consegue ser tão destemido desta forma.
Zé já trocou tiros com agentes da Guarda Municipal, nenhum o atingiu, Zé já conseguiu correr de dois homens que decidiram agarra-lo com as próprias mãos mesmo sob risco de serem alvejados - o homem carrega consigo um revolver não identificado pela Polícia.
No estado do Piauí, as buscas foram intensificadas pelas Polícias de fronteiras, campanas foram montadas estrategicamente para aguardar o retorno do bandido que rotineiramente se refugia em locais que possuem água.
Agentes contam à imprensa que o homem foi avistado em cima de pedregulhos e desafiando as autoridades segue em direção a estes e quando se aproxima some, sim, do nada some, e isso deixa todos intrigados.
Na internet, muita especulação, há quem acredite em magia, feitiçaria, proteção diabólica ou algo do tipo, outros apelam para a experiência do bandido em lidar com o sertão.

Experiente em meio a Caatinga - Zé do Valério anda descalço, em um sol escaldante com sensação térmica de 45ºC, e por onde passa consegue ser avistado mas não capturado, e é ai que mora as duvidas no entorno deste homem que passou a ser uma lenda devido aos dias que se passam.
As buscas pelo assassino continuam, Policias Civil, Militar e vaqueiros experientes fazem parte do comboio que pretende colocar atrás das grades o homem que deixará 2019 na história, história essa lamentável e intrigante de uma jovem que tinha uma vida pela frente e um idoso que segue impune.
A imprensa mantém os dados atualizados dia e noite, com o anseio de editores de divulgar a informação de que Zé do Valério finalmente foi pego, até este fato ser consumado, todos desejam algo em comum a JUSTIÇA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário