terça-feira, 10 de julho de 2018

VIOLÊNCIA - Facções avançam na Região Metropolitana e expulsam moradores de suas casas

As ameaças estão estampadas nas paredes das casas da comunidade de Porteiras

Um ultimato. Em 24 horas, os moradores devem abandonar suas casas. A história se repete na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), onde criminosos ameaçam matar moradores de uma comunidade da zona rural do Município de Caucaia. Seriam traficantes ligados a uma facção criminosa os autores das intimidações e juras de morte.
O fato ocorre na comunidade de Porteiras, onde famílias inteiras estão sendo ameaçadas pelos criminosos que se instalaram recentemente no lugar, provavelmente foragidos de outros locais no mesmo Município.  Com a chegada dos traficantes, os nativos estão sendo expulsos de suas casas e aqueles que resistem passam a ser ameaçados de morte.
Na semana passada, na mesma comunidade, uma jovem de 17 anos, adolescente, foi visitar os pais que moram na comunidade de Porteiras e acabou sendo morta, a tiros, em um ponto de ônibus, quando já retornava para Fortaleza. Jaqueline havia sido ameaçada pelos traficantes e estes cumpriram a jura de morte quando a garota foi visitas seus pais.

Outros casos - Desde o começo do ano, as autoridades da Segurança Pública do Ceará já registraram vários casos de moradores ameaçados e expulsos de suas moradias por membros de grupos criminosos. Isso aconteceu no Condomínio Residencial Cidade Jardim, no Conjunto José Walter, no residencial Novo barroso, conhecido como “Babilônia”; e nas comunidades Barroso II e no Jangurussu.
Para impedir que as ameaças de morte se concretizassem contra os moradores do Barroso II e da “Babilônia”, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) determinou que a Polícia Militar ocupasse tais comunidades e garantisse a permanência das famílias em suas casas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário